A nova Ciberarte

A sexta edição da Ciberarte, publicada no final de 2008, ganhou um projeto gráfico completamente novo, mais limpo, organizado e dinâmico. O novo design aposta em um tipo de navegação simples, objetiva e acessível, com uma interface preemptiva, que diminui a quantidade de clicks para chegar ao conteúdo desejado.

Na sexta edição da Ciberarte você poderá acompanhar o som dos fluidos, a música para poucos, os espaços coletivos e esquecidos, o lesbianismo nos quadrinhos, o admirável mundo novo, a recusa da guerra, o capitalismo infernal de Wall Street e o entulho planetário habitado pelas baratas…

capa da ciberarte nº06

A nova Ciberarte

A sexta edição da Ciberarte, publicada no final de 2008, ganhou um projeto gráfico completamente novo, mais limpo, organizado e dinâmico. O novo design aposta em um tipo de navegação simples, objetiva e acessível, com uma interface preemptiva, que diminui a quantidade de clicks para chegar ao conteúdo desejado.

Na sexta edição da Ciberarte você poderá acompanhar o som dos fluidos, a música para poucos, os espaços coletivos e esquecidos, o lesbianismo nos quadrinhos, o admirável mundo novo, a recusa da guerra, o capitalismo infernal de Wall Street e o entulho planetário habitado pelas baratas…

capa da ciberarte nº06

Renato Tapado

O escritor catarinense Renato Tapado, que teve seu site recentemente desenvolvido pela DZO webdesign, acaba de atualizá-lo com dois artigos muito pertinentes, nessa época em que tentamos desesperadamente classificar as artes e a literatura. Em “Literatura Catarinense: para que serve?”, o autor discute a problemática existente na necessidade dessa classificação e em “A Literatura Brasileira Contemporânea e a sedução da ‘realidade’”, Renato aborda e novamente problematiza a “nova” literatura realista brasileira. Além desses dois artigos, a atualização do site conta com o novo romance do autor, publicado na íntegra: “Nenhum silêncio”.