Teste a velocidade da sua conexão

Velocidade da ConexãoSpeedtest.net e Testegvt.tk são duas ferramentas para testar a velocidade da sua conexão. A segunda é da GVT, mas para ter certeza da imparcialidade basta utilizar também a primeira, que oferece muitos outros recursos, como a possibilidade de escolher um servidor para conexão e também a emissão de uma imagem em PNG com os resultados do teste. Como a imagem acima, com os resultados da minha conexão.

A humanização da Internet

O Mozilla Labs lançou um novo plugin para Firefox chamado “Ubiquity”, algo como “Onipresença” em português. O nome um tanto hiperbólico do experimento é justificado quando você descobre o que a versão 0.1 já é capaz e fazer. A proposta do sistema é tornar mais humanos os comandos quando você navega na web e assim agilizar ações e processos, permitindo que operações antes trabalhosas, como anexar um mapa de localização do Google Maps a um e-mail, seja possível com certa agilidade.

Por exemplo: você ativa o programinha com o comando Ctrl+barra de espaço e digita este comando na caixa de entrada que surge: “translate ubiquity from english to portuguese” e tem a tradução da palavra automaticamente, sem precisar acessar nenhum site de tradução. Ok, essa ficou um pouco longa, mas que tal pesquisar algum termo na Wikipedia? Basta acessar o plugin (sempre com o comando Ctrl+barra de espaço) e digitar algo como “w mozilla” e o resultado aparece automaticamente. E se você digitar “w mozilla” e a tecla Enter em seguida, será direcionado para o termo na Wikipedia.

Outro comando legal é esse do mapa, que citei no primeiro parágrafo. Digamos que você resolveu aproveitar o sábado ensolarado para remar na Lagoa do Peri. O pessoal já está lá embaixo esperando no carro, com os caiaques no rack, impacientes, mas você precisa avisar o seu amigo paulista que não conhece Floripa onde fica a lagoa. Nos velhos tempos você acessava o Google Maps; procurava a localização; ampliava a imagem; fazia um print screen da tela; abria o seu programa de manipulação de imagens; editava a tela com o mapa; salvava e anexava ao e-mail, ufa… A essa hora o pessoal já foi embora sem esperar por você. Com Ubiquity, basta escrever o e-mail rapidinho com a mensagem: “encontre-me na Lagoa do Peri”, selecione o nome do local, acesse o plugin e digite “map”. E voilá, o mapa com a localização da Lagoa aparece, você clica nele para ampliar e no link “Insert map in page” para incluir em seu e-mail. Muito mais rápido que o processo tradicional e também mais acessível para quem não tem muita intimidade com as ferramentas gráficas.

Como observado nos exemplos acima, os comandos ainda devem ser todos em inglês, mas à medida que o sistema se populariza devem surgir traduções para outras línguas, incluindo o português, além de novas funcionalidades e correções de possíveis bugs. Para saber mais sobre o Ubiquity, visite a página do experimento no Mozilla Labs; veja o vídeo tutorial no Vimeo e leia o tutorial no Mozilla Wiki.

Domínio “.com.br” liberado para pessoa física

Finalmente o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), órgão criado pelo governo em 2003 para coordenar e integrar todas as iniciativas de serviços Internet no país, decidiu liberar o registro de domínios “.com.br” para pessoas físicas, bastando a utilização do CPF. É uma mudança muito aguardada para todos que trabalham com web e para os internautas brasileiros em geral. Até ontem, só empresas com CNPJ podiam registrar os domínios “.com.br”, que é a terminação mais procurada e difundida na web, não apenas por estabelecimentos comerciais, como sugere a terminação, mas também por pessoas físicas ou projetos sem fins comerciais. Devido a esse empecilho, muitos optavam por registrar um domínio internacional “.com”, já que lá fora essa burocracia nunca existiu. Dessa forma são as empresas estrangeiras que lucram e esses sites deixam de constar na relação de domínios brasileiros, fazendo com que os números não representam a proporção real de site brasileiros. É bem provável que essa liberação incentive uma corrida ao registro de domínios nos próximos dias. Por isso, se você ainda não havia registrado seu domínio por não ter uma empresa, melhor reservar o seu através de uma visita ao Registro.br.

Para registrar seu domínio, além do seu endereço completo e do CPF, precisa também de um host para hospedá-lo. Se você não deseja fazer o seu website agora, mas apenas garantir seu domínio antes que um espertinho pegue, existem algumas alternativas. Uma delas é contratar uma “reserva de domínio” que muitas empresas de hospedagem oferecem, por valores médios de R$50,00 anuais. Mas se você não quiser desembolsar nada além da anuidade do registro.br, que é de R$30,00, basta utilizar um ótimo serviço grátis chamado DNS Park. Lá você se cadastra e gera os DNSs necessários para registrar seu domínio. Tem ainda a opção de redirecionar o seu site para seu blog hospedado no Blogspot ou no WordPress, por exemplo. Assim você tem o seu site, com domínio personalizado, pagando apenas R$30,00 ao ano, não é uma maravilha?

Por que usar o Gmail

envelope arrobaCom o Gmail já é possível ler os principais formatos de documentos que vêm anexos nas mensagens sem precisar baixar os arquivos na máquina. O formato PDF ainda não é lido completamente, as imagens não aparecem. A leitura de DOCs teve uma melhora nos últimos dias e agora é possível visualizar as imagens embutidas no documento. Os arquivos PPT e PPS, agora podem ser visualizados como slide show.

Tudo isso, nada tem haver se você tem ou não o software proprietário da extensão instalado na sua máquina. Neste caso, o software utilizado para visualizar os arquivos está no servidor, não no cliente. Sem dúvida, o Gmail está muito a frente dos outros web mails. Depois que você se acostuma com ele e aprende a utilizar corretamente, não sente mais falta dos concorrentes. Outro ponto fortíssimo é o sistema de busca embutido na interface. Através de operadores lógicos (has:attachment e outros). você encontra facilmente qualquer mensagem entre as milhares da sua caixa. Alguns reclamam que não tem folders, mas depois que você se acostuma com as labels, as pastas se mostram ultrapassadas. Algumas mensagens se enquadram em mais de uma categoria, e com o sistema de pastas você tem que escolher apenas uma pasta para colocar a mesma. Com o sistema inédito do Gmail, você pode atribuir mais de uma label para cada mensagem, através de filtros de entrada ou saída e dessa forma facilitar mais ainda a busca.

Voltando aos anexos, eu não poderia esquecer do Google Documents, que é um Word on-line, colaborativo. Quando você recebe um arquivo, pode clicar em um link embaixo do nome do anexo (Open as a Google document na interface em inglês), transferir automaticamente seu arquivo para o Google Documents e editá-lo posteriormente, salvando cada versão alterada, como um wiki.

Quando entro no Yahoo e no Hotmail, percebo que não existe competição, além daquelas interfaces mais lentas, pesadas, com bugs e infestadas de propagandas gráficas. Mas é fato que o maior público do Gmail são pessoas com maior conhecimento técnico, web developers, que trabalham na área, geeks e entusiastas. E também é fato que estes mesmos conseguem influenciar com maior ênfase as outras pessoas que não pertencem a estas categorias, fazendo com que elas migrem para o Gmail. Quanto à preocupação com privacidade, isso é besteira, além de eu não ligar pra isso as outras empresas também estariam sujeitas a mesma suspeita, pois as mensagens são armazenadas da mesma forma.

Endereços Longos

snipurl.gifURLs longas podem ser um grande problema quando você precisa enviá-las por e-mail. Muitos clientes quebram os endereços longos e consequentemente os links a eles associados, impossibilitando o acesso. Uma boa saída é colocar o e-mail entre os símbolos de maior e menor, dessa forma: <http://www.teste.com.br/teste/blablabla…>. Assim você não corre o risco do link se perder. Uma outra saída é utilizar um serviço que está ficando muito popular na web, que são os encurtadores de URL. Com esses serviços você converte URLs longas em curtas. Um dos primeiros a oferecer este serviço foi o site TinyURL.com. Uma das desvantagens dele é que você não pode escolher como ficará o resultado e ele cria endereços como http://tinyurl.com/2fyjgl. Outras opções como o Snipurl, o Notlong e o Metamark oferecem a opção de você escolher como ficará o endereço final. Assim, o endereço do Google Maps acima, no Snipurl, ficará dessa forma: http://snipr.com/floripa.

Apesar da utilidade destes serviços que tornam as URLs curtas, existem criticas em termos de segurança, já que as URLs criadas podem esconder páginas com intenções maliciosas. Alguns desses serviços, no entanto, já oferecem prevenção contra este problema. O tinyURL, por exemplo, oferece a opção do visitante substituir “tinyurl.com por “preview.tinyurl.com”, mostrando dessa forma o endereço original.

Google Web History

edr_archive_wp2-web.jpgLembra aquela página que você visitou duas semanas atrás com aqueles ícones maravilhosos feitos no estilo pixel? Ou então aquele artigo (em qual jornal mesmo?) sobre as previsões desastrosas para o planeta daqui a 50 anos? E você não registrou estas páginas no seu favoritos, porque estava com pressa e não queria perder tempo tentando decidir a melhor categoria para arquivá-las. Bem, parece que alguém pensou em uma boa solução. O Google lançou hoje mais um serviço, o Google Web History, uma versão renomeada e melhorada do serviço Google Search History, que registrava todas as páginas procuradas e visitadas através do sistema de busca da empresa. Com o Google Web History a coisa fica muito mais interessante. Agora todas as páginas que você visita durante o dia ficam registradas no sistema, desde que você tenha uma conta do Google e use o Google Toolbar com o PageRank ativado. E o melhor de tudo, você pode fazer uma busca no histórico, não apenas pelo título da página visitada, mas também por qualquer palavra ou expressão no seu conteúdo. Além disso você vai poder consultar o seu histórico em qualquer computador conectado a Internet.

Notícias no seu comunicador

anothr.jpgAnothr é um robot que você adiciona no seu IM (comunicador instantâneo) e avisa você sempre que uma notícia é publicada nos blogs no qual você se inscreve através dele. No momento funciona no GTalk e no Skype e para adicioná-lo, basta incluir anothr@gmail.com nos seus contatos e em poucos instantes você recebe uma mensagem com os principais comandos do serviço. Mais uma dica do blog Google Operating System.

CMS Multimídia

loudblog-11px.jpgLoudblog é um CMS criado especialmente para publicar conteúdo multimídia. Com ele você pode publicar facilmente arquivos de audio e vídeo, junto com títulos, comentários, links e outros conteúdos. O sistema suporta ID3 tag e pode ser utilizado em conjundo com outros sistemas (Mambo, Joomla, Drupal and WordPress) através da ferramenta Loudbot. Loudblog, como todo bom CMS, permite a criação de templates personalizados.