Resoluções

Decidi não mais utilizar adjetivos nos meus próximos posts. Também não falarei mais bem ou mal de ninguém, não darei opiniões sobre livros lidos ou filmes assistidos e não falarei do meu dia-a-dia, que não tem nada para ser contado. Quase utilizei um adjetivo agora, para qualificar os meus dias, depreciá-los… Não falarei do clima nem de qualquer espécie de evento que irá ocorrer. Também não pedirei aos leitores que comentem meus posts. Pessoalmente, não gosto da palavra “post”, prefiro o mais próximo em português, como “entrada” ou “atualização”, mas não vou utilizar esse blog para pregar meu inexistente desprezo pelos anglicismos. Não vou abandonar o blog e muito menos me comprometer a atualizá-lo diariamente. Não há o que falar ou mostrar todos os dias. Não há interesse pelos meus passos, pelos meus cliques, pelas minhas percepções, interpretações ou decisões. Quem me conhece sabe que não gosto de computadores. Já me ouviu confessar que gostaria de quebrá-los com um machado e jogá-los pela janela do meu apartamento, no oitavo andar. Que torço para que a rede mundial de computadores entre em pane e deixe de funcionar, para que as TVs e rádios deixem de captar suas transmissões, para que as tomadas fiquem vazias de energia elétrica. Assim o mato crescerá rapidamente e tomará as grandes cidades. Os animais voltarão a tomar os lugares de onde foram enxotados e as pessoas precisarão aprender a viver da terra, do que plantam, caçam ou pescam. Não desejo o mal aos humanos e não é porque um dia fui obrigado a matar uma galinha com meus próprios dentes e beber o seu sangue que me sinto em vantagem. Não poderei ser contratado para fazer esse serviço sujo para os outros, pois eles não terão como me pagar. Dinheiro não valerá mais. Por isso decidi deixar de seguir as minhas regras nos próximos posts! Afinal, mesmo com os dentes afiados, ainda sou um homem, não uma besta. Tenho o direito de mudar de opinião.