Favoritos e bookmarks sociais

Marca PáginasOs Bookmarks foram incorporados em 1993, no primeiro browser popular com características gráficas, o Mosaic. Em 1994 Marc Andreessen, co-autor do Mosaic lançou o Netscape Navigator, que rapidamente tornou-se líder de mercado. Este browser também utilizava o termo bookmarks para designar o conjunto de urls salvas pelos internautas. Preocupada com a rápida dominação da Netscape, a Microsoft lançou em 1995 o Internet Explorer, que passou a utilizar o termo favorites (favoritos), que acabou se tornando sinônimo de bookmarks. Com o surgimento do revolucionário Mozilla Firefox em 2004, que deu nova vitalidade ao mercado de browsers e alegrou a vida de web designers e desenvolvedores, foi introduzido o método de live bookmarking, que permite a apresentação de feeds em uma pasta de bookmarks.

Então surgiram os bookmarks sociais, uma forma de armazenar, organizar, compartilhar e buscar as suas páginas preferidas de qualquer computador conectado a internet. O precursor deste tipo de serviço foi criado em abril de 1996, com o lançamento do extinto itList, seguido por vários outros, como o Backflip, Blink, Clip2, Hotlinks, Quiver. Mas a coisa só passou a ser interessante em 2003, com o lançamento do del.icio.us, pioneiro no conceito tagging, onde o usuário do serviço pode classificar cada um dos itens armazenados com termos (tags) relacionados. Seguindo os passos do del.icio.us, que foi recentemente adquirido pelo Yahoo, várias outras empresas lançaram serviços similares, como o Simpy, Furl, e os mais recentes Stumbleupon, Netvouz, Ma.gnolia e Diigo. Existem ainda variações do conceito de social bookmarking, como o Digg, reddit, e Newsvine, que agregam ao serviço o conceito de notícias sociais.

Até o momento parece que a Google não entrou na competição dos bookmarks sociais, mas tem um conjunto de recursos que podem se tornar uma opção para entrar na briga. O Google Bookmarks é uma ferramenta análoga aos serviços citados acima. Permite o registro de sites e a classificação dos mesmos a partir de tags. A diferença é que não é público, portanto não seria um bookmark social, já que a possibilidade de compartilhar e adicionar amigos não existe no serviço. O Web History é a mais recente ferramenta adicionada pela Google e permite o registro de todas as páginas visitadas pelo usuário que habilite esta opção e utilize a barra de ferramentas da empresa.

Além de utilizar as opções da Google, passei a utilizar com mais freqüência o del.icio.us, pela sua praticidade em incluir novos registros e limpeza da interface. No próximo artigo vou ensinar como configurar o del.icio.us para publicar diariamente uma lista com as páginas que você adicionou a ele durante o dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *